Blog Primeira Essência » Um lugar para se encontrar

Masthead header

O que você está pensando?

Para escrever este texto, resolvi fazer um teste comigo mesmo. Fechei há mais de um mês minha conta do Facebook para ver como seria. Confesso que a experiência me trouxe alegrias e tristezas. Alegrias porque, sim, é possível viver sem! Estava perdendo muito tempo vendo os sorrisos de um monte de gente que nem conheço direito. O excesso de sorrisos vistos nas redes de relacionamento digital é um assunto que eu tenho vontade de escrever sobre, mas não será hoje. Sorrisos aqui representando os pontos altos das pessoas que, reais ou não, provocam sensações boas e ruins nesse meu coração ciumento e vacilante.

Mas nem só de sorrisos vive o social… Se você ver os comentários sobre assuntos polêmicos (ou nem tanto) no Facebook, trending topics do Twitter, ou até mesmo em notícias de grandes portais, você verá uma face não muito legal dos seres humanos. O ódio expressado e proporcionado pela distância física entre as pessoas. Na internet, esse tipo de pessoa tem nome: hater. Mas não é só de haters que vive a internet, às vezes eles agem mal por causa dos trolls (se ainda não conhece os termos, vale a pesquisa)… Assim, o ódio e as mágoas vão só aumentando.

Porém, rede social não se resume a isto, até porque, como viver sem o Whastapp (ou similares)? Ferramenta que mudou para sempre (por enquanto) a forma como nos comunicamos nesse mundo. Como exemplo, ontem tive um problema em sala, enquanto dava aula: o projetor de vídeo não estava funcionando. Pra resolver a situação, ao invés de copiar o exercício na lousa, enviei o exercício pelo aplicativo para meus alunos – assim eles também não precisaram copiar (que os pedagogos não vejam isto, muito menos meu coordenador rs). É provável que você conheça usos destas ferramentas muito bem aplicados por empresas ou outras entidades. Não pretendo gastar o tempo de vocês falando dos benefícios e malefícios desta ferramenta, pois são muitos, para ambos os lados. Mas uma me chamou atenção, pois pouco antes de escrever este texto, um grande portal noticiou uma pesquisa realizada pela Universidade de Pittsburgh (EUA) associando o uso de mídias sociais à problemas de sono.

Vamos jogar limpo, quantos aqui não tiveram algum tipo de dificuldade com alguma rede social? Excesso de perda de tempo, o recebimento de algum tipo de vírus, viu fotos ou vídeos que não gostaria de ter visto, ou ainda teve sua privacidade exposta de forma indevida? As queixas são muitas e bastante diversificadas. Se você ainda acha que não sofreu com nenhum problema, fique tranquilo, ou já aconteceu e você não soube, ou ainda vai acontecer.

Por outro lado, quem não reviu colegas com quem estudou há muito tempo? Quem não tem um grupo com familiares que a distância isolou (Por que tantos ‘bom dia!’? rs)? Quem não poupou vários telefonemas mandando uma única mensagem? Quem não mandou um ‘áudio’ pedindo desculpas para alguém? Ou quem não deu um ‘like’ para impressionar alguém? Os exemplos são vários e difíceis de homogeneizar.

Mas, perante tantos benefícios e malefícios, como se portar perante essas redes? Se você pesquisar sobre o assunto vai encontrar bastante coisa, algumas interessantes e outras um tanto exageradas. Uns demonizam estas ferramentas e outros endeusam. Mas para mim uma coisa é clara: ferramentas são ferramentas, o problema ou a solução está nas mãos do usuário. Uma faca nas mãos de uma criança é um grande problema, assim também nas de um assaltante. Porém, nas mãos de um cozinheiro é imprescindível!

A palavra de ordem para este assunto (como para vários outros) é equilíbrio! Use com equilíbrio! Pois acredite, até água em excesso pode causar problemas, que dirá as demais coisas que temos para escolher. Mas (e esse “mas” é muito importante), se o uso das redes e mídias sociais tem sido um problema para ti, fique com o conselho de Jesus em Mateus 5:29 e 30 que, parafraseando, diz: se algo atrapalha nossa comunhão com Ele ou com os irmãos é melhor deixar de lado! Agora, se esse não for um problema para ti, que tal apresentar Jesus para quem você conhece? Tem feito isso e não tem tido resultados? Tente não realizar de forma genérica ou invasiva, mas de forma exclusiva e elegante. E sempre com oração!

Tiago Mateus
Eu sou Tiago casado com a querida Olívia. Aqui na IASD Primeira Essência fiz muitos e bons amigos, dentre eles Jesus.

Your email is never published or shared. Required fields are marked *

*

*