Blog Primeira Essência » Um lugar para se encontrar

Masthead header

Sobre o zika vírus!

Oi, velhos e novos amigos desse querido e lindo blog!!!

Hoje gostaria de abordar um tema popular e de muito interesse a todos, o famoso Zika vírus. Vamos conhecer e descobrir desse assustador Vírus que vem aterrorizando nosso país.

O que é esse tal de Zika vírus?

É uma doença viral aguda, transmitida principalmente por mosquitos, tais como Aedes aegypti, caracterizada por exantema maculopapular pruriginoso, febre intermitente, hiperemia conjuntival não purulenta e sem prurido, artralgia, mialgia e dor de cabeça. Apresenta evolução benigna e os sintomas geralmente desaparecem espontaneamente após 3-7 dias.

Como é transmitido?

O principal modo de transmissão descrito do vírus é por vetores. No entanto, está descrito na literatura científica, a ocorrência de transmissão ocupacional em laboratório de pesquisa, perinatal e sexual, além da possibilidade de transmissão transfusional.

Como eu sei que posso estar com o Zika Vírus?

Quais os sintomas?

Segundo a literatura, mais de 80% das pessoas infectadas não desenvolvem manifestações clínicas, porém quando presentes são caracterizadas por exantema maculopapular pruriginoso (manchas avermelhadas com coceira), febre intermitente, hiperemia conjuntival não purulenta, dor nas articulaçōes, dor muscular e dor de cabeça e menos frequentemente, edema (inchaço), dor de garganta, tosse, vômitos. Apresenta evolução benigna e os sintomas geralmente desaparecem espontaneamente após 3 a 7 dias. No entanto, a artralgia (dor nas articulaçōes) pode persistir por aproximadamente um mês.

É verdade que a zika pode levar a uma doença grave?

Tem sido registrado, em regiões com surto de zika, o aumento de uma síndrome neurológica chamada Guillain-Barré. Qualquer pessoa que tenha tido zika precisa procurar atendimento médico rápido se, de 1 a 4 semanas depois da zika, começar a sentir dor, formigamento ou fraqueza nos pés e pernas. Conforme a síndrome progride, a fraqueza muscular pode evoluir para paralisia, podendo haver grande dificuldade em caminhar ou subir escadas. É preciso fazer tratamento no hospital.

Fui diagnosticada com zika. Posso amamentar?

O que se sabe até o momento é que, embora exista a possibilidade de encontrar o vírus zika no leite materno, isso não significa que o bebê será contaminado. Especialistas acreditam que a amamentação deva continuar de qualquer forma, para que o bebê receba pelo leite materno toda a imunidade contra doenças em geral, além da alimentação mais completa e perfeita para o seu desenvolvimento. Essa também é a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS). Mas, diante da incerteza que cerca a zika devido à falta de estudos conclusivos sobre o vírus, é compreensível que uma mãe com a doença pense em interromper a amamentação. Em momentos assim é muito difícil saber como agir. Se você está preocupada em amamentar, converse com um médico de sua confiança e leve em conta o que considera melhor no seu caso e o do seu bebê.

Lembre-se de que o mais importante de tudo é que seu filho seja alimentado de maneira apropriada e que seja coberto por seu carinho e seus cuidados. Tome sua decisão com tranquilidade.

A zika causa malformações no bebê? O Zika tem haver com a microencefalia?

Embora pesquisas ainda estejam sendo conduzidas para entender melhor todos os aspectos e consequências da doença, o que se sabe até agora é que existe uma relação entre infecção por zika na gravidez e malformações neurológicas como a microcefalia (o bebê nascer com a cabeça menor que o padrão). Isso não quer dizer, contudo, que toda grávida que teve zika terá um bebê com malformação. Os mecanismos da contaminação do feto ainda estão na fase de investigação pela comunidade científica e, infelizmente, muitas perguntas ainda não têm resposta definitiva. Uma grávida que esteja com coceira e manchas avermelhadas pelo corpo deve procurar atendimento médico o mais rápido possível. Somente um profissional de saúde pode distinguir se se trata de zika ou de outra doença. Uma vez confirmada a zika, os médicos farão o controle do desenvolvimento do bebê e do crescimento da cabeça através de ultrassons. Caso, com o avanço da gestação, seja constatada microcefalia ou outra alteração, o bebê será examinado quando nascer para que sejam indicadas terapias e tratamentos. Não se sabe ainda em que fase da gravidez a zika é mais perigosa para o bebê, mas os três primeiros meses são sempre o período mais crítico para infecções que afetem o feto, porque os órgãos estão em formação.

Quem pega zika fica imune para o resto da vida?

Pelo que se sabe até agora, os especialistas acreditam que a zika promove a imunização de quem adoece. Ou seja, se você já pegou o zika vírus uma vez, não pegaria de novo. De qualquer forma, ainda poderá pegar outras doenças causadas por vírus transmitidos pelo mosquito Aedes aegypti, como os quatro tipos de dengue e a febre chikungunya.

O que eu posso fazer se suspeitar que estou com o Zika vírus?

Procurar o serviço de saúde mais próximo para receber orientações. Se apresentar ou sintomas ou em caso de suspeita de Zika deve-se ir ao médico para que ele possa identificar a doença e indicar os medicamentos necessários. Apesar destes remédios não precisarem de receita médica para serem comprados a auto-medicação não deve ser aplicada. Além disso, a Zika é uma doença que deve ser avisada às autoridades de saúde do Brasil e do mundo e cabe ao médico enviar relatórios que indicam o número de infectados e os sintomas que apresentaram porque estas informações são importante para o estudo desta doença, sendo útil para saber mais detalhes sobre o Zika Vírus e suas implicações na saúde.

Tem exames que identificam o Zika vírus?

Os exames que identificam o Zika vírus encontram pequenas partículas desse vírus na corrente sanguínea da pessoa infectada, por isso só é eficaz quando é realizado quando os sintomas da Zika estão presentes, o que dura cerca de 5 a 10 dias. Após esse período não é possível saber se a pessoa teve a doença ou não porque nem sempre são encontrados vestígios do vírus.

Porque o médico nem sempre pede exames?

Normalmente os médicos não pedem exames específicos para o ZIKAV porque estes não encontram-se disponíveis para o público em geral. Somente algumas pessoas selecionadas pelo ministério da saúde são submetidas a exames que possam identificar o zika vírus, enquanto os sintomas da doença ainda estiverem presentes. Após este período apenas vestígios virais podem ser identificados em alguns tecidos, mas para identifica-lo é preciso um outro exame, um pouco mais específico e mais caro. No entanto, para despistar outras doenças o médico poderá solicitar outros exames como exame de sangue, urina ou ultrassonografia, para identificar outras doenças que podem ter sintomas semelhantes.

Existe remédio específico?

Não existe o tratamento específico. O tratamento dos casos sintomáticos recomendado é baseado no uso de acetaminofeno (paracetamol) ou dipirona para o controle da febre e manejo da dor. No caso de lesōes pruriginosas (manchas com coceira), os anti-histamínicos podem ser considerados. No entanto, é desaconselhável o uso ou indicação de ácido acetilsalicílico e outros drogas anti-inflamatórias em função do devido ao risco aumentado de complicações hemorrágicas descritas nas infecções por síndrome hemorrágica como ocorre com outros flavivírus. Não há vacina contra o Zika virus.

Como evitar a transmissão dessa doença?

A principal forma de prevenção é o combate aos focos de mosquito, em especial nos períodos de calor e de chuvas. As medidas são semelhantes às da dengue e chikungunya. Não existem medidas de controle específicas direcionadas ao homem, uma vez que não se dispõe de nenhuma vacina ou drogas antivirais.

Prevenção domiciliar deve-se reduzir a densidade vetorial, por meio da eliminação da possibilidade de contato entre mosquitos e água armazenada em qualquer tipo de depósito, impedindo o acesso das fêmeas grávidas por intermédio do uso de telas/capas ou mantendo-se os reservatórios ou qualquer local que possa acumular água, totalmente cobertos. A proteção individual por meio do uso de repelentes deve ser implementada pelos habitantes. Pode-se utilizar roupas que minimizem a exposição da pele durante o dia quando os mosquitos são mais ativos podem proporcionar alguma proteção contra as picadas dos mosquitos e podem ser adotadas principalmente durante surtos, além do uso repelentes na pele exposta ou nas roupas.

Prevenção na comunidade deve-se basear nos métodos realizados para o controle da dengue, utilizando-se estratégias eficazes para reduzir a densidade de mosquitos vetores. Um programa de controle da dengue em pleno funcionamento irá reduzir a probabilidade de um ser humano virêmico servir como fonte de alimentação sanguínea, e de infecção para Ae. aegypti e Ae. albopictus, levando à transmissão secundária. Por meio de participação da comunidade em manejo ambiental e redução de criadouros.

Procedimentos de controle de vetores. Alguns cuidados para ter em mente:

  • Não deixe água limpa se acumular em sua casa ou quintal. Isso inclui vasos de plantas, móveis e enfeites em áreas externas. Fique de olho em poças d’água que se formam após a chuva.
  • Use roupas claras, e, de preferência, mangas e calças longas.
  • Como ainda não há informações definitivas sobre a possibilidade de transmissão por via sexual, use preservativos nas relações com seu parceiro, em especial se ele tiver tido a doença.
  • Em todo o caso, se puder, procure não ter contato muito próximo com pessoas doentes. E é sempre bom, em qualquer situação, manter bons hábitos de higiene: lavar as mãos com frequência, não compartilhar talheres e copos com outras pessoas.
  • Passe repelente contra insetos, inclusive na roupa, para tentar aumentar a proteção. Reaplique a cada seis horas ou de acordo com as instruções da embalagem.

E se cuidem!!!

Jamima Oliveira
Sou Jamima Oliveira, médica em uma Unidade Básica de Saúde. Aprecio muito estar com minha família e amigos. Na Primeira Essência encontro um novo lar, repleto de pessoas maravilhosas e momentos especiais que me aproximam mais de Jesus.

Your email is never published or shared. Required fields are marked *

*

*