Blog Primeira Essência » Um lugar para se encontrar

Masthead header

Olha o Feed…back

Cerca de seis meses atrás, eu encaminhei para alguns amigos uma mensagem em que pedia que eles dessem feedbacks sobre mim – pontos que eles julgassem fortes e outros nas quais que eu pudesse melhorar. As respostas que obtive deste pedido foram as mais engraçadas, porém trágicas, que eu podia imaginar: 15% deles me encaminharam apenas pontos positivos, 10% me enviaram as duas solicitações. Já a esmagadora e grande maioria, com os 75%, me encaminharam algumas dessas seguintes frases: “Cara, você está bem”? “Está passando por algum problema”? “Está fazendo análise”? E por fim, não me encaminharam mais nada.

À medida em que recebia as respostas eu ria muito e vi o quanto é difícil para as pessoas darem um feedback para alguém. Talvez por que encarem o feedback como uma crítica ao outro e acham que por este simples ato, seu relacionamento – quer seja empregatício, amizade, amoroso, etc. – será influenciado negativamente.

Lógico que receber ou dar um feedback de/para alguém é um exercício; exige prática e o objetivo sempre será baseado na melhoria contínua no outro. Sem apontar dedos, apenas mostrando outra perspectiva de olhar baseado em dados claros e objetivos. Por favor, entenda que feedback não é desabafo! Este processo não tem nada a ver com as suas emoções e sim com fatos.

Jesus era/é muito especialista em dar feedbacks. Podemos listar diversos cenários onde ele conversava com as pessoas e dizia exatamente o que elas precisavam ouvir para as reflexões e o seus respectivos crescimentos e melhorias. Por que Ele era bem-sucedido em dar feedbacks? Porque Ele sabia quem eram as pessoas, sabia como elas agiam, e o principal: tinha amor por elas. Então, se alguém te der um feedback, ouça com amor e contra argumente se necessário for (rima não proposital). Mas reflita, cresça e também ajude o seu próximo neste processo.

“Quem pode perceber os próprios erros”? Esta é a pergunta que encontramos no capítulo 19 de Salmos. O “Quem” eu não posso te responder com precisão, mas uma coisa é certa…pedir um feedback para ajudar a perceber os próprios erros já é uma grande ajuda para o seu crescimento e talvez somente assim você possa alcançar maturidade em seus aspectos pessoais, profissionais e/ou espirituais.

Forte abraço,

Dalton Leça #comcedilha

Your email is never published or shared. Required fields are marked *

*

*